Novo projeto para promover a aplicação das Estratégias Marinhas na Macaronésia

Reunião inicial do projeto MISTIC SEAS 2

 

O projeto MISTIC SEAS 2 teve a sua reunião de lançamento durante o mês de março de 2017 na cidade de Lisboa. Nesta reunião estiveram presentes todas as entidades benificiários (coordenador e parceiros) bem como alguns especialistas convidados.O MISTIC SEAS 2 é uma iniciativa conjunta de Portugal e Espanha, visando colocar em marcha os programas de monitorização delineados no anterior projeto MISTIC SEAS.

O projeto MISTIC SEAS envolveu mais de 35 especialistas de diversas entidades governamentais, técnicas e científicas de Portugal e Espanha.

  • Delineou um conjunto de programas de monitorização que reforçam a coerência e a coordenação sub-regional e entre Estados-Membros;
  • Tendo sido realizadas ações conjuntas com vista à revisão das avaliações iniciais, preenchimento de lacunas de conhecimento e a determinação de bom estado ambiental;
  • Do mesmo modo, foram desenvolvidas ações de consciencialização, elaboração de uma publicação técnica, uma publicação informativa e “networking”;
  • Foi elaborado um Plano de Ação para a Macaronesia, o qual teve participação pública, tendo sido subsequentemente validado por todos os parceiros da iniciativa. Este Plano de Ação marca a rota para que Portugal e Espanha devem priorizar, a curto, médio e longo prazo, no que diz respeito à implementação da Diretiva-Quadro Estratégia Marinha nos prazos definidos pela própria diretiva.

O novo projeto MITIC SEAS 2 (Aplicação de uma abordagem sub-regional coerente e coordenada para monitorar e avaliar a biodiversidade marinha na Macaronesia para o segundo ciclo da Diretiva-Quadro sobre Estratégias Marinhas):

  • Terminará a 31 de março de 2019, tem um orçamento total de 1,3 milhões de euros, sendo cofinanciado a 80% pela Comissão Europeia;
  • É coordenado pelo Governo Regional dos Açores (Portugal), e reúne parceiros do Governo de Portugal, Governo Regional dos Açores, Governo Regional da Madeira, Governo das Canárias, o Ministério da Agricultura e Pescas, da Alimentação e do Ambiente de Espanha, e o Instituto Espanhol de Oceanografia.